História de Santos

Santos é um dos poucos municípios brasileiros que conhecem o local exato de sua fundação: o Outeiro de Santa Catarina. Foi sobre o que restou deste, que Brás Cubas lançou os fundamentos da cidade e fundou em 1543, o Hospital da Santa Casa de Misericórdia de todos os Santos, que deu o nome à cidade e à primeira instituição Pia das Américas.

Em 1545, Santos é elevada à categoria de Vila e, em 1839, passa a ser cidade. A origem do porto data de 1545. Em 1583 o pirata Fenton tentou dominar santos, mas foi expulso. Em 1591 O Corsário Thomas Cavendish tomou o porto de santos e saqueou a cidade A Capela de N. Sra. do Monte Serrat foi construída em 1603. Em 1640, frades franciscanos fundam o Convento de Santo Antônio do Valongo e dez anos depois, em 1650, os monges beneditinos fundam o Mosteiro de São Bento. Santos participou da Independência, tendo sido o berço dos irmãos Andrada - José Bonifácio, Antônio Carlos e Martim Francisco. Às vésperas da separação política, o príncipe D. Pedro viera a Santos, pela Calçada do Lorena e, na volta a São Paulo, no dia 7 de setembro de 1822, recebeu, no Ipiranga, cartas de seu ministro, José Bonifácio, e de sua mulher, a Princesa D. Leopoldina, incentivando-o a separar o Brasil de Portugal. Por pouco a proclamação da Independência do Brasil não foi em Santos.

Em 2 de fevereiro de 1892, eram inaugurados os primeiros 260 m de cais construídos desde 1890 pela Cia. Docas. A exportação de café e o porto provocaram, no final do século XIX, enorme aumento da população, atraindo inúmeros imigrantes europeus. O 1° hotel da orla marítima foi o “Internacional”, construído em 1895, e estava localizado na praia do José Menino. Os primeiros imigrantes japoneses chegaram em 1908.

Em 1912, foram inaugurados os primeiros canais, projetados pelo engenheiro Saturnino de Brito.

A orla marítima foi urbanizada em 1935 e em 36 foi entregue o 1 ° jardim da praia, entre o José Menino e canal 2.

Em 1968, a autonomia de Santos foi retirada pelo governo Militar, que em 1964 tomara o poder no País. Esta autonomia só foi restabelecida em 1984, após uma grande campanha.

Novos negócios começam a surgir na cidade, a partir de 90/91 e, em 1993, a IV Bienal de Artes Plásticas de Santos é considerada pela Associação Paulista de Críticos de Arte como o Melhor Evento do Ano.

Em 95/96 comemorou-se a 100ª Temporada de Verão, junto com a publicação do Anuário Estatístico da Embratur, e que aponta Santos como a cidade do litoral paulista mais visitada por estrangeiros.