Água

warning: Creating default object from empty value in /home/ademirguerreiro/ademirguerreiro.net/modules/taxonomy/taxonomy.pages.inc on line 34.

Dessalinização

A água é encontrada na natureza em fontes superficiais ou subterrâneas.

E menos de 3% do total é composto por água doce, ou seja, que contêm um volume reduzido de sais e apropriada ao consumo humano. A água doce, normalmente utilizada para abastecimento público, passa por um tratamento principalmente para a remoção de microorganismos e impurezas que possam
afetar a saúde.

Porém, muitas regiões do planeta não possuem quantidade suficiente de água doce. O aumento da população mundial e a poluição são outros fatores comprometedores ao uso dessa água, que pode acabar se não forem tomadas medidas para seu uso sustentado e garantia da sua renovação. Uma das alternativas para regiões que possuem escassez de água doce é a utilização de água com alta concentração de sais, como a água salobra (muito comum nos aqüíferos subterrâneos do Nordeste Brasileiro) e a água do mar. Para torná-las potáveis, ou seja, apropriada ao consumo humano, é necessário fazer a dessalinização.

Trata-se de um processo que exige alto investimento e recursos tecnológicos complexos para a produção em larga escala. Neste caso, o preço da água para o consumidor final torna-se muito mais elevado, devido à menor oferta e gastos envolvidos para torná-la potável.

A Sabesp não trata a água por meio do processo de dessalinização. Tal sistema é utilizado em alguns países, como Arábia Saudita, Israel e Kuwait, além de ser usado por equipes de navios que ficam meses no mar ou pesquisadores residindo em regiões desprovidas de água doce.

Na ilha de Chipre, a água do mar abastece a população e os lençóis freáticos que foram reduzidos pela exploração exagerada. Diversos governos e instituições investem em pesquisas para o desenvolvimento de processos de dessalinização que sejam eficientes, adequados às características regionais e que tenham um custo reduzido, pois esse tipo de tratamento é muito mais caro que o convencional.

Os principais processos de dessalinização são:

Osmose Reversa - o processo de dessalinização por osmose reversa ocorre quando é exercida pressão em uma solução salina. A água atravessa uma membrana semipermeável, com poros microscópicos, que retém sais, microorganismos e outras impurezas.
Dessa maneira, a água pura "sai" da solução salgada e fica separada em outro local.

Um dos pontos principais desse processo é a fabricação de membranas osmóticas sintéticas, uma tecnologia de ponta, criada inicialmente para uso em processos industriais. Os aumentos constantes da produção vêm barateando o custo desse produto, facilitando o acesso à tecnologia.

Dessalinização Térmica - é um dos processos mais antigos, imitando a circulação natural da água. O modo mais simples, a "destilação solar", é utilizado em lugares quentes, com a construção de grandes tanques cobertos com vidro ou outro material transparente.

A luz solar atravessa o vidro, a água do líquido bruto evapora, os vapores se condensam na parte interna do vidro, transformando-se novamente em água, que escorre para um sistema de recolhimento.
Dessa forma, separa-se a água de todos os sais e impurezas. Em lugares frios ou com carência de espaço, esse processo pode ser feito gerando-se calor através de energia. A melhor solução, neste caso, é a utilização de energia solar, que é mais barata, não consome recursos como petróleo e carvão e não agride o meio ambiente.

Congelamento - quando congelamos a água, produzimos gelo puro, sem sal. Então, através do congelamento/ descongelamento pode-se obter água doce. Esse método não foi testado em larga escala, porém, existem propostas para a utilização de calotas polares (onde está boa parte da água doce do planeta) para obtenção de água pura.

No entanto, teme-se que a água de descongelamento de calotas polares possa trazer problemas, como, por exemplo, uma nova propagação de vírus, já erradicados ou controlados, que podem ter ficado congelados.

Informações básicas sobre a água

A água é um recurso finito, a água utilizada sempre retorna ao meio ambiente (tratada ou não).

A água é um elemento vital para os seres humanos e seu ambiente, importante economicamente e culturalmente.

O planeta Terra é formado por ¾ de água (doce e salgada) e apenas ¼ de terra (continentes e terras). Fica bem mais fácil entender isso olhando no globo terrestre: toda a parte em azul representa a água, enquanto a parte em marrom representa a terra.

Apesar de ser gostoso brincar na água salgada do mar na praia, não podemos bebê-la, pois a apropriada para consumo humano é a doce. Essa água doce, que está em 2,7% do total de águas do mundo (os outros 97,3% são de água salgada, vinda de mares e oceanos) é distribuída assim:

0,01% nos rios - 0,35% nos lagos e pântanos - 2,34% nos pólos, geleiras e icebergs.

Também é pouca água em relação ao número de habitantes do planeta Terra. O Brasil é um país privilegiado, pois possui 13,7% da água doce do planeta. E 1,6% de toda essa água estão no Estado de São Paulo.

80% das águas brasileiras estão nos rios da Amazônia, e 1,6% no Estado de São Paulo.

A Organização Mundial da Saúde estima que 80% das doenças dos países em desenvolvimento são causadas pela água sem tratamento adequado.

A cada real aplicado em saneamento, deixa-se de gastar 15 reais em tratamentos médicos.

A água que é consumida em todos os lares atendidos pela Sabesp é captada de mananciais, passando por um rígido processo de tratamento e controle sanitário antes de chegar às residências.

A ocupação desordenada e o uso inadequado do solo vêm comprometendo seriamente a qualidade de água dos mananciais que a Sabesp utiliza para fornecimento público.

Água Potável é aquela que é limpa e transparente, não contém microorganismos nem substâncias que possam transmitir doenças ao ser humano.

Deu para notar que é muito pouca água doce se comparada à quantidade de água salgada, não deu? Para se ter uma idéia melhor de como é essa proporção, imagine que uma garrafa de dois litros cheia represente toda a água salgada do mundo e um conta-gotas, a água doce.

Para que a água continue sendo potável (que se pode beber) e suficiente para todos os brasileiros, temos que cuidar bem dela e evitar os desperdícios. Assim, preservamos nosso planeta e proporcionamos condições de boa saúde para as próximas gerações.
Energia Solar: Quando o sol começa a esquentar a água, ocorre à evaporação. É ela que vai formar as nuvens que irão resultar na chuva.

Chuva: Quando há uma grande concentração de gotas, as nuvens ficam pesadas e é formada a chuva. A água que cai sobre a terra servirá para animais, plantas e seres humanos.

Vento: O vento move as nuvens, fazendo com que as chuvas sejam distribuídas por toda a extensão terrestre.

Oceano: A água do oceano evapora com a energia solar e ajuda a formar as nuvens de chuva.

Transpiração: A água retida nas plantas e na terra vai para a atmosfera e ajuda na formação das nuvens de chuva através da transpiração.
Evaporação: A água dos rios, lagos e oceanos evaporam com a energia solar e forma as nuvens.

Neve e gelo: A neve e o gelo escorrem pelo interior da terra e ajudam na formação das nuvens seja pela transpiração das árvores e terra, seja pela evaporação de rios e oceanos.

Rios e Lagos: A água dos rios e lagos evapora com a energia solar e ajuda a formar as nuvens.

Mas até na água não posso confiar?

Crônicas do Rogério Clementino Saraiva Júnior

Mas até na água não posso confiar?

Certo dia eu ia para a escola de manhã quando reparei que haviam deixado a televisão ligada. Fui até a sala e antes de desligá-la percebi que uma reportagem era sobre minha cidade, Guarujá.

Divulgar conteúdo